sábado, 2 de maio de 2009

ETAPA 3 - CRISMA



ETAPA 3
CRISMA
MISTAGOGIA 2

Introdução
Tempo final do processo de iniciação. É um caminho de aprofundamento da experiência sacramental e progressiva inserção em Cristo e na Igreja (RICA 37-40). Para os que já possuem a idade para a Crisma (14 anos), eles farão este tempo na Crisma. Nesta Etapa temos uma nova perspectiva: o catequizando já está em plena adolescência e o termo de tratamento mudou para “crismando”, uma nomenclatura que deseja expressar a forma nova desse adolescente olhar a realidade mais ampla: o mundo, o outro, a vida cristã, Jesus e a Igreja.

De forma geral, o crismando nesta etapa refletirá acerca de aspectos da realidade humana e social, aprofundará a doutrina que professa, conhecerá mais sua Igreja, descobrindo formas de melhor viver seu cristianismo na Igreja e na sociedade.

01. Ingresso nesta Etapa 3:
O catequizando inicia, nesta Etapa 3 (Crisma), aos 14 anos completos. Idades menores do que esta, somente se estiver vindo da Etapa 2 (Perseverança), ou modalidade formativa semelhante para transferências de outras dioceses. Por isso é importante observar a tabela abaixo no momento da inscrição do candidato:

Tabela 6: Ingresso de candidatos à Etapa 3 (Crisma), para realizar a Mistagogia 2

Idades e Situação: Encaminhamento:
Menores de 14 anos, que não fizeram a Etapa 2 (Perseverança)

Serão encaminhados para os Módulos da Etapa 2 (Perseverança), conforme a idade que tiverem Menores de 14 anos, que já fizeram a Etapa 2 (Perseverança)

Serão encaminhados para o Módulo II da Etapa 3 (Crisma)
14, 15, 16 e 17 anos completos, que não fizeram a Etapa 2 (Perseverança)

Serão encaminhados para o Módulo I da Etapa 3
(Crisma)
14, 15, 16 e 17 anos completos, que fizeram a Etapa 2 (Perseverança)

Serão encaminhados para o Módulo II da Etapa 3 (Crisma)
18 anos completos (e maiores de 18 anos) tendo ou não a Perseverança.
Serão encaminhados à Catequese com Adultos

02. Estrutura desta Etapa:

A) Módulo I:
Será um olhar do crismando à sua realidade e ao que caracteriza a vida cristã. Os temas deste Módulo visam suprir a carência formativa dos catequizandos que, após a Primeira Eucaristia, se afastaram da catequese e/ou da Igreja, não fazendo a Perseverança. Farão estes módulo todos os
candidatos que não fizeram a Perseverança.

B) Módulo II:
Aqui se refletirá sobre o seguimento de Jesus e suas consequências. Trata-se do início, propriamente dito, da caminhada rumo ao Sacramento da Crisma. Nele ingressam os que concluíram a Perseverança, mesmo não tendo 14 anos completos, e os demais concluintes do Módulo 1 desta Etapa 3.

C) Módulo III:
Tratar-se-á aqui de conhecer a Igreja, aquilo que a constitui e a nossa pertença à ela. Última parte da caminhada formativa da Crisma, espera-se que, ao final dela, o crismando esteja pronto para receber o Sacramento da Crisma.

D) Encontros Extras:
Além dos encontros, nos tempos acima, no decorrer da aplicação desta Etapa, haverá outros encontros visando aprofundar a caminhada do Ano Litúrgico e da Paróquia: padroeiro; Corpus Christi; vocações e missões. Se a Equipe julgar que há outros temas relevantes para a formação dos crismandos, mas notar que aumentará mais o número de encontros catequéticos de Crisma, poderá implementar, como solução, a realização de “Manhãs Formativas”, ou “Tardes Formativas”, trabalhando 3 a 4 temas.

03. Perfil do(a) Crismando(a):

a) Crismandos de 14 a 15 anos:
“O(a) crismando dos 14 aos 15 anos tem maior percepção quanto a si mesmo e a novos ideais, o crescimento pode ser rápido ou lento e desordenado, amadurece a compreensão verbal e a facilidade para o discurso, busca independência do círculo familiar, elabora seu conceito de moralidade, suas decisões são movidas por múltiplas influências, podem apresentar agressividade.

Sua visão de Deus varia de uma idéia presente na mente das pessoas a um Deus a quem recorre nas dificuldades. Portanto, a catequese com adolescentes deve apresentar certas características como:

:: Os encontros devem ser atraentes e dinâmicos;
:: Trabalhar atividades que desenvolvam as habilidades pessoais: canto, poesia, teatros,
murais, dinâmicas, etc;
:: Trabalhar os temas a partir dos conhecimento dos catequizandos;
:: Saber dosar a ternura e a firmeza, mostrando o certo e o errado e exemplificando;
:: Buscar desenvolver e elevar a auto-estima dos catequizandos;
:: Diversificar os encontros, proporcionando passeios, festas, gincanas, etc.;
:: Levá-los a conhecerem a comunidade, interagindo e se dispondo a trabalhar nas pastorais,
movimentos, visitas a asilos, orfanatos, etc;
:: Promover reuniões de pais para integrar pais, catequizandos e catequistas, visando ao
envolvimento dos pais no processo formativo”.1

e) Crismandos de 16 a 17 anos:
“- Começa a compreender-se e a encontrar-se a si mesmo e sente melhor a integração no mundo onde vive;
- Apresenta um significativo progresso na superação da timidez;
- É mais sereno na sua conduta. Mostra-se menos vulnerável às dificuldades;
- Tem maior autodomínio;
- É a época de tomar decisões: futuro, estudos...;
- Começa a projetar a sua vida;
- Estabelece relações mais pessoais e profundas.

Ajudas positivas:
- Que aprendam a escutar e a compreender os que pensam de forma diferente da deles ou do seu pequeno grupo, mas que não abdiquem das suas idéias ou princípios;
- Que reflitam constantemente sobre os pontos de vista que são contrários aos seus, sabendo interpretá-los adequadamente;
- Que saibam suportar as contrariedades que qualquer responsabilidade implica, seja própria ou perante os outros;
- "Querer é poder". Que se convençam de que não é possível conseguir mais se não nos propomos seriamente a isso.

Tópicos para lidar com um adolescente:
1 Idem, p. 53 a 57

- Mostrar-lhe sincera amizade;
- Estabelecer uma comunicação baseada no respeito, na confiança e na oportunidade;
- Ter sempre muita compreensão;
- Aprender a escutá-los;
- Não cansar de os animar;
- Exigir suavemente, mas com firmeza;
- Compartilhar dos seus bons projetos;
- Medir bem aquilo que lhes exigir;
- Manter-se firme nas decisões que forem tomadas;
- Ceder nas coisas em que isso for possível”.2

No que se refere a religiosidade:
- Promover a participação nos grupos de jovens e atividades eclesiais, conformes os documentos da Igreja para a juventude;
- Mostrar-lhes Deus como o Pai apresentado por Jesus;
- Promover sua participação em trabalhos comunitários e pastorais;
- Canalizar sua energia para as atividades missionárias;
- Mostrar-lhes que a moral católica é direção e não freio: o “não pode” é ajuda para crescer como pessoa e cristão, e não simples proibição.

04. Observações Finais:
Finalmente, lembramos aos catequistas a observância da Introdução acima, das Orientações Gerais desta versão do Projeto Alicerce, bem como das Diretrizes Diocesanas da Pastoral Catequética e Pastoral da Crisma, elementos essenciais para o sucesso da aplicação deste período
formativo e de todo o Projeto Alicerce.

Fale conosco: abiblicocatequeticasjc@bol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário